O governo quer privatizar a Eletrobras e todas as empresas públicas que compõem o sistema elétrico nacional.
O que você acha disso?

SOU CONTRA a entrega do patrimônio brasileiro por meio da privatização.

 

SOU A FAVOR da privatização e dos consequentes aumentos na tarifa de energia.

Obrigado!
Seu voto foi armazenado com sucesso.


VER RESULTADO PARCIAL

Resultado Parcial

0

SOU CONTRA a entrega do patrimônio brasileiro por meio da privatização.

 
0

SOU A FAVOR da privatização e dos consequentes aumentos na tarifa de energia.

VOTAR NOVAMENTE
18/04/2018 01h31

Governo não consegue maioria no primeiro debate sobre PL

Na primeira tentativa do governo de discutir a privatização da Eletrobras em audiência pública na Câmara dos Deputados, parlamentares da base aliada mais uma vez foram minoria na comissão especial que analisa o tema. Dos deputados que se manifestaram durante a audiência pública com o presidente da estatal, Wilson Ferreira Junior, poucos tentaram defender o projeto, e o próprio relator da matéria, José Carlos Aleluia (DEM-BA), também parecia apático.

A expectativa era de que um número maior de deputados da base se manifestassem durante a reunião nesta terça-feira, 17 de abril, mas alguns deles registraram presença sem permanecer na comissão. O discurso mais inflamado entre os governistas foi do deputado Alceu Moreira (MDB-RS), que acusou os oposicionistas de quebrarem a Eletrobras para ganhar eleição. “Quem sabe esses gênios fantásticos que eu ouvi aqui têm outra solução?”, provocou o deputado, que protagonizou um debate com o parlamentar petista Celso Pansera (RJ), ministro do governo Dilma Rousseff.

Ferreira Junior fez uma apresentação do projeto e foi questionado por quatro horas por deputados de oposição, período em que teve que explicar porque se disse contra a privatização antes de assumir a presidência da empresa, e negou ter chamado os empregados da estatal de vagabundos. O plenário da comissão foi ocupado por sindicalistas e funcionários da estatal que se manifestavam a cada questionamentos dos deputados e vaiaram o executivo.

“Sempre defendi que a gente viesse discutir [o projeto] no Congresso Nacional”, disse Ferreira Junior, argumentando que a estatal está em um processo de recuperação importante, mas não tem recursos para investir R$ 14 bilhões por ano. “Não estamos criando nenhum problema de soberania sobre o patrimônio púbico brasileiro em relação ao uso dos recursos naturais”, explicou.

Leônidas Cristino (PDT-CE) disse que estava preocupado com a possibilidade de que o PL passasse na Câmara, “mas vendo a falta de ânimo do presidente da Eletrobras e do deputado Aleluia” acreditava que isso não iria acontecer. “Eu acho que a empresa não vai ser vendida. O governo não tem o poder de convencimento para aprovar essa matéria na Câmara dos Deputados”, disse o parlamentar.

O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) questionou o uso do termo capitalização e pediu ao executivo que desse “o nome aos bois”. “Não é capitalização, é privatização. Vamos falar a verdade”, disse Molon. Ele destacou que a população é contra a venda do controle da estatal.

A comissão terá amanhã uma reunião administrativa para definir os próximos passos do cronograma de trabalho. Já está agendada uma segunda audiência pública com convidados dos partidos de oposição.


Notícias

Ver mais

DIVULGUE ESSA CAUSA!